Bruno Covas antes e depois, veja as transformações sofridas

Conheça a trajetória do último prefeito eleito de São Paulo

0
O antes e depois de Bruno Covas

O ex- prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morreu no dia 16 de maio deste ano, em decorrência de um câncer no trato digestivo e agora vamos te mostrar como era Bruno Covas antes e depois da doença.

Origem e formação

Neto do ex- governador Mário Covas, Bruno  era advogado e economista e começou sua carreira na política ainda cedo, se filiando ao  PSDB em 1998.No ano seguinte,  foi eleito o Primeiro Secretário da Juventude do Partido e em 2007 já era o presidente nacional da Juventude Tucana, onde ficou até  2011.

Casamento

O político se casou  em 2004 com Karen Ichiba, e ficaram juntos até 2014, quando se separaram.

Da união, nasceu Tomás em 2005, filho que esteve sempre presente nos eventos por onde Bruno frequentava.

Deputado Estadual

Em 2006, Bruno Covas foi eleito deputado estadual e reeleito em 2010 como o deputado reeleito como o deputado estadual mais votado no Estado de São Paulo.

Deputado Federal

Em seguida, Bruno Covas foi eleito deputado federal nas  em 2014, para legislar entre 2015-2019. O deputado foi um dos que votaram a favor do processo de impeachment da então presidenta ,Dilma Rousseff e também votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.

Prefeito de São Paulo

Em 2016, João Dória venceu a eleição e se tornou prefeito de São Paulo e Bruno Covas vice-prefeito.

No entanto,em 2018, com a renúncia do prefeito, ele assume o cargo se tornando prefeito do estado.

Em 2020, Bruno Covas foi reeleito prefeito de São Paulo, vencendo em todos os distritos eleitorais em primeiro turno. 

Câncer

Bruno  descobriu um câncer  em outubro de na transição entre estômago e esôfago em outubro de 2019,quando ainda estava a frente da prefeitura após a renúncia de Dória.

A princípio,Covas precisou ir ao hospital tratar uma erisepela na pele, e durante os exames, foi constatado o tumor, e prontamente, o prefeito começou o tratamento de quimioterapia.

Com o avanço da doença, outros focos foram encontrados, piorando o estado de saúde de Bruno.

Por fim,em 3 de maio, ele foi internado na UTI,no Hospital Sírio Libanês, São Paulo,em decorrência de um sangramento no estômago,onde morreu 13 dias depois.